Pesquisas

Nossas pesquisas já foram utilizadas pelo Senado Federal, em análises mundiais de Clima Organizacional, em Processos de Realinhamento de Cultura Organizacional, em reformulação da Força de Vendas, construção de cenários e outras aplicações.

Pela sua flexibilidade operacional, permite diversas opções metodológicas para adequação ao orçamento do cliente. Além de disponibilizar pesquisas tradicionais como Clima Organizacional e Satisfação de Clientes, a GEO tem procurado, nesse período, criar pesquisas novas, relevantes, criando um nicho específico para pesquisas não tradicionais.

Exemplos dessas novas pesquisas:

Adesão Estratégica (ADE)

 

Imagine que sua organização (Empresa, BU ou Área) definiu uma Estratégia de Ação. Provavelmente, se foi um trabalho participativo, muitos contribuíram com sugestões. Mas após formulada, como sabe se vai haver adesão e comprometimento pela equipe gerencial em relação a mesma? Como saber se esses profissionais vão mesmo ou não se envolver, de “corpo e alma”, com o planejamento elaborado?

Temos na Pesquisa de Adesão Estratégica uma ferramenta eletrônica que mede essa reação, classificando a posição dos respondentes em uma escala que vai da Resistência Ativa, para Ceticismo, pela Apatia e outros estágios do Envolvimento, até chegar a Aceitação, Entendimento e ou Comprometimento. Precisamos ter em mente que a implantação é mais complexa que a formulação.

Ao identificarmos as reações das diversas áreas ou setores à Estratégia proposta, temos um claro diagnóstico do que fazer para estimular e assegurar a adesão dessas unidades ao comportamento estratégico necessário.

Sinergia Organizacional (SIN)

 

É sua organização de fato sinérgica? As pessoas e setores de fato cooperam entre si? Sua organização evidencia um network produtivo e estimulante? Ou existem áreas que são percebidas como verdadeiros “inimigos” ou “resistentes”. Todos sabemos que isso acontece em qualquer organização, geralmente constatados a partir de comentários informais, fofocas e ações dessa natureza.

Entender se de fato há problemas de sinergia a serem solucionados, é uma informação importante para os processos de gestão e a consecução de resultados. A analisar todas as relações funcionais de um determinado público-alvo, a partir de critérios pré-definidos, com escala semântica, via WEB, a Pesquisa de Sinergia Organizacional atende esse objetivo.

Dada a nossa experiência em Dashboards e Aprendizagem, os resultados de uma análise da sinergia entre 50 áreas, empresas, unidades ou diretorias, é apresentado, com mais de 2.500 informações, em uma única página, com cores de classificação. Em menos de 5 minutos, o cliente poder identificar as áreas que têm problemas de relacionamento e interação, avaliar sua gravidade e entender suas causas. É o resultado do tratamento comportamental de uma apresentação de múltiplos dados, em pouco tempo, permitindo análise e priorização imediata.

Efetividade dos Processos e Sistemas (PRS)

 

Como são percebidos e avaliados os processos e sistemas de sua Organização? Agregam valor na percepção de seus usuários? Onde podem ser melhorados? São conhecidos e entendidos?

Respostas como essa são dadas pela Pesquisa de Análise de Efetividade de Processos e Sistemas.

Disposição para a Mudança (DPM)(Organizacional ou Tecnológica)

 

Sua Organização está prestes a deflagrar uma grande mudança estratégica, estrutural ou processual. As pessoas que terão que apoiá-la, entendê-la e colocá-la em prática enxergam essa Mudança como necessária, indispensável, inútil ou de difícil implementação?

Saber antecipadamente a provável reação das pessoas envolvidas pode ser muito importante para evitar ou minimizar os riscos de fracasso. O conhecimento dessas questões, antecipadamente, permite ações preventivas em termos de comunicação, persuasão, estímulos, controle, prazos, ritmo e outras variáveis relevantes.

Campo de Forças (CDF)

 

A mudança relevante que sua Organização está por deflagrar apresenta qual grau de risco de fracasso? Por quais motivos? Em que intensidade? Que ações preventivas e podem ser tomadas para elevar a probabilidade de sucesso? Para responder essas questões, temos a Pesquisa de Campo de Forças.

Estilos de Comunicação (LEC)

 

Profissionais “produtivos” não conseguem normalmente ter sucesso com chefes “intuitivos”. Por sua vez, os “produtivos” acham que os “intuitivos” não se concentram, divagam, não tem urgência, não estamos para resultados e sim para a forma de fazer as coisas.

“Sensitivos”, por exemplo, transformam o lado emocional dos problemas em fator crítico de sucesso. Estão mais preocupados com as pessoas que com resultados.

“Produtores” e “Analíticos” preferem PowerPoints em branco e preto, de preferência com muitos gráficos, números e tabelas. “Intuitivos” e “Sensitivos” preferem desenhos, ilustrações, cores. “Produtores” detestam preencher relatórios, como geralmente na área de vendas. “Intuitivos”, porém, muitas vezes, tendem a elaborar relatórios precisos, longos, detalhados, extensos. Os “Produtores”, nesse item.

Quando uma demissão ou um corte é anunciado, o “Produtor” pergunta Quando, o “Analítico” quer saber a razão, o “Sensitivo” que saber de que forma será a pessoa ou grupo comunicado, e o “Intuitivo” o critério de análise adotado para fundamentar a ação.

Para saber qual o estilo de uma determinada pessoa ou grupo, propomos o uso do LEC – Estilos de Comunicação, aplicado via WEB e com devolutiva direta para o respondente ou relatórios especiais grupais pré-definidos. Trata-se de uma informação comportamental extremamente crítica para melhorar a relação com subordinados, superiores ou colegas, comunicação de mudanças, criação de estímulos motivacionais e outras finalidades.

 

Efetividade da Comunicação Interna (COM)

 

Um dos fatores organizacionais que mais podem ser melhorados é a Comunicação. Para permitir um processo de melhoria contínua da Comunicação uma determinada Organização, a Pesquisa ECI levanta a qualidade e efetividade de toda uma equipe de trabalho, seja em nível corporativo, de Unidades de Negócios, Diretorias ou outras segmentações.

Também utilizando relatórios do tipo Dashboard, a ECI viabiliza, em curto prazo, dados e informações objetivas sobre as relações de comunicações entre todas as áreas analisadas, possibilitando priorização, análise e soluções.

Auditoria da Cultura Organizacional (ACO)

 

Como pensam, sentem e agem seus colaboradores? Quais são suas atitudes e comportamentos frente aos fatores críticos de sucesso de sua Organização? Quais são seus Valores? Até que ponto seus profissionais entendem que seus Valores estão alinhados com os verdadeiros valores da Organização, em termos de prática e não de peças informativas nas paredes?

A Auditoria da Cultura Organizacional (ACO) é nossa pesquisa mais cara. Por meio de grupos de discussão e questionários extremamente práticos e profundos, são mapeados os sub-grupos culturais, definidos seus perfís e analisados os “gaps” entre a Prática e o Discurso, além de identificarmos os Pressupostos, resultantes de experiências passadas, e que podem influenciar negativamente a Estratégia de Ação. É uma pesquisa indispensável para grandes processos de mudança.

Análise do Ambiente Organizacional (AAO)

 

Diversos fatores, em nosso entendimento, influenciam profundamente o Ambiente Organizacional: Ceticismo, Sinergia, Espírito de Equipe, Níveis de Estresse, Histórico de Desempenho e outros. Dependendo de seus graus de deterioração ou qualidade, podem influenciar profundamente o desempenho competitivo de qualquer equipe, unidade ou Organização.

A AAO mede esses fatores, prioriza e disponibiliza informações objetivas que facilitam as ações corretivas. Trata-se de um excelente instrumento de diagnóstico organizacional.

Top